Putinha Faz Uma Foda Dentro do Carro

Putinha Faz Uma Foda Dentro do Carro

Putinha Faz Uma Foda  Dentro do Carro

quando ela saiu do banheiro branquinha, com o cabelo escorrido até a cintura, só de calcinha e meia calça, aqueles peitinhos durinhos e soltou um sorrisinho, eu não aguentei parti pra cima dela, a peguei no colo e ela começou a rir, eu a joguei na cama e comecei a beija-la de língua, ela já sabia me beijar, enfiava a lingua dentro da minha boca e eu chupava aquela lingua lizinha, chupava o pescoço dela e ela soltava gemidinhos, desci e chupei os mamilos durinhos, fiquei ali beiijando de lingua aqueles mamilos rosinhas, apertava as coxas dela e sentia aquela meia calça deliciosa, coloquei a mão sobre a bucetinha dela e afastei a calcinha, enfiei o dedo todo sem dificuldade nenhuma, é, eu realmente tinha arrombado minha sobrinha tão criança ainda. Depois disso eu fui tomar um banho e aproveitei para tomar um remedinho, kkk Marcelinha ficou deitada na sala e Claudia foi ficar na rede da varanda, tomei uma banho demorado e quando voltei Marcelinha estava desmaiada na sala, sono profundo sai na varanda e fiquei conversando com Claudia, depois de um tempo ela foi colocar a miga no quarto, ficou uns 20 minutos as duas no quarto, já estava começando a pensar que só no outro dia iria ter alguma coisa, dei uma cochilada no sofá e acordei na hora que Claudia abrindo a minha bermuda, ela deu um sorriso e disse :C – Pensei que a Marcelinha não iria pegar no sono e deixar você para mim,RSSEla começou a mamar da mesma maneira de antes, assim o pau só apontava para o teto, falei para ela que queria sentir sua buceta de novo, ela sorriu e falou com uma cara de putinha (só a buceta) caralho ela também queria me presentear, começamos com ela por cima cavalgando eu chupava os peitinhos dela, não dava para colocar os dois bicos ao mesmo tempo na boca como eu gosto, mas era uma delicia sentir a bunda gostosa dela nas minhas pernas, apertar aquele rabo gotoso, passamos um tempinho assim e depois levantei ela no colo, segurei ela no ar e cocei a socar nela forte, ela começou a gemer gostoso, a morder meu pescoço deixando marcas, na hora o tesão falou mais alto, pensei foda-se para as marcas, percebi que ela estava para gozar , ela pediu para encostar ela na parede, prontamente pressionei ela e fiquei socando até ela para de gemer e ficar só ofegante, me chamando de puto, FDP, safado. Ele sugeriu então deitar-se no banco traseiro do carro e eu entraria com ele na garagem, lá dentro ninguém nos notaria.