Porno caseiro dos bons minha pretinha buceta grande metendo gostoso na buceta dessa rabuda bem deliciosa com ex-noivo petrolina – pe

53 seg

Categoria:

Tag:

visualizações

53 seg

Categoria:

Tag:

Porno caseiro dos bons minha pretinha buceta grande metendo gostoso na buceta dessa rabuda bem deliciosa com ex-noivo petrolina – pe

Porno caseiro dos bons minha pretinha buceta grande metendo gostoso na buceta dessa rabuda bem deliciosa com ex-noivo petrolina – pe

Enquanto a rola entrava fundo nela, ele alisava a buceta dela. Minha mãe querendo saber o motivo da encrenca, entrou na conversa e mais uma vez ele começou a falar, deixando sua mãe irritada.

Quando eu comecei a rebolar e ele aumentou o ritmo das socadas, com aquele pau grosso entrando e saído do meu cu, eu rebolava e gemia de tanto tesão, meu cunhado falava que a minha bunda era uma delicia, ele me chamava de gostosa e socava o pau no meu cuzinho, que se abria e recebia aquele pau gostoso que me fodia freneticamente, de repente ele deu uma socada bem funda e segurou a respiração, nisso eu senti jatos e jatos de porra quente esguichando dentro do meu cuzinho, sei que foi uma loucura, mas foi uma das melhores fodas que eu já tinha dado, me diverti e gozei de montão, depois de tomarmos um bom banho, entramos no carro e fomos embora e durante todo caminho de volta, ele levantou a minha saia até a virilha e veio alisando as minhas coxas e a minha bucetinha e ao me despedir eu dei lhe um beijo no rosto dele, ele me agarrou e me deu um beijo na boca, sua língua enrolou se na minha e eu aproveitei para beijar aquela boca deliciosa. Ao tocar a sua deliciosa buceta, pude perceber o quanto estava molhada.

Huummm…Em segundos ele tirou as roupas e levantou meu vestido até sair por cima da minha cabeça, eu parecia uma bezerrinha pois ainda estava grudada naquela pica mamando gostoso. Tudo começo quando agente foi passear em uma pracinha que tinha perto da minha vo quando vimos dois cachorros transando na época tínhamos 11 anos e não sabíamos o que era aquilo de pois fomos em bora eu lembrando da cena fomos brinca e perguntei se ela queria brinca de cachorrinho ela lógico aceito e logo fiquei em cima dela pra fazer igual ela disse mais vamos fazer igual o da pracinha tira a roupa ele tava colocando o negócio no outro e vc tem um parecido primo eu fui e subi nela e coloquei logo meu pinto na bunda dela ela disse que gostoso brinca disso ela viu meu pinto duro e disse vai primo eu fui e comecei a esfrega nela ela rebolava e tava bom e não gozava ainda mais mesmo assim fui ótimo lambi o rabinho dela aquela bunda pretinha pois ela é mulata bem gostosa e lambi sua buceta igual cachorro ela gemia e fico molhadinha em fim nossa vo nos chamos e tive que para mais teve mais nos próximos conto o que foi acontecendo durante esses anos""Ana Paula e Daniel se conheceram no colégio, começaram a ficar, de ficada em ficada, resolveram namorar sério, terminaram o colegial, entraram na faculdade. -Ahhhhhh – Foi tudo o que ele conseguiu dizer no momento, e assim que recuperou o fôlego me chamou novamente de puta e repetia sem parar :– Aí que delícia, vai rebola mais, sua puta rabuda, vai, vai, isso, rebola essa buceta no meu pau vai. fui e dei um bjinho no incio daquela perereca , que ja dava pra perceber que estava molhada , ela devia estar tremendo por dentro com aquilo"Uma senhorabonitinha por volta de uns 35-40 porém com as belas pernas bem carnudas e magrinha até de barriga ::Quando estava na fila fui praticamente correndo nem reparei nas mulheres que estavam na fila, mas não adianta avistei uma morena logo quando o trolebus veio ao terminal e sim o milagre etranho aconteceu de novo o trolebus veio com pessoas de são mateus, me acomodei do lado dessa senhora gostosinha, comecei a massagem e passar o dedo em sua perna carnuda, a única pena é que ela estava de calça jeans e não curto muito essas calças pq perco um pouco da sensação e do tesão, mas em contrapartida essa senhora após pegar o celular e dizendo que tinha passado mal “e repetia isso vrias vezes no celular, enquanto a massageava” era aquele mal com tesão sabem. A sala era bem ampla, com uma mesa de centro de madeira branca bem grande, uma bela televisão que quando ligamos já iniciamos em um desses canal pornô.

Após uma boa sessão de amasso os dois foram para o quarto, ela tirou o hobby e ficou seminua pra ele em segundos, ele tirou parte da farda, ela ajoelhou-se em sua frente e tirou suas calças, revelando a ferramenta enrijecida, já tomada pela excitação ela acomodou aquele membro em sua boca, pelo menos parte daquilo na boca, pois era muito grande, acho que nunca a vi com tamanha fome, ela engolia aquele pau negro como se o mundo fosse acabar naquele momento, ele sacou o pau da boca dela e a pôs de quatro sobre a cama, ai foi a vez dele cair de boca, ela estremecia a cada chupada que aquele negro dava, parecia que iria virar ela do avesso, depois de lubrificá-la bem ele apontou aquele pau enorme na entrada da buceta dela, foi colocando bem devagarzinho, ela o segurava para que ele fosse com mais calma, depois que a cabeça entrou ele deu uns segundos pra ela respirar e se acostumar com o volume, no momento que ela sinalizou que estava pronta ele apertou nas suas ancas, travou as mãos e com força socou até o fundo dela, ela urrou como eu nunca vi, começaram aquele movimento cadenciado de vai e vem, ela se estremecia e jogava o corpo com força pra trás, parece que ela queria mais pica, mudaram varias vezes de posição, ele fez o que quis com ela e demoraram muito no quarto. Sai de perto de todo mundo sorrateiramente e fui caminhando pelo terreno do sitio, passando pelo celeiro, pela casa dos caseiros, pêlos estábulos.

Ela foi metendo cada vez mais forte e não parava, eu gritava urrava de tesão e ela parecia adorar aquilo, começou a me chupar de novo e me fuder ao mesmo tempo!! Tive dois orgasmos um atras do outro e ela engoliu tudo.