Comendo A Prima Novinha

Comendo A Prima Novinha

Comendo A Prima Novinha

A cadela estava no cio, por isso senti que estava procurando um macho para acasalar! Meti um dedo nela e a cadela começou a se tremer, não sei se era de medo ou tesão por eu esta mexendo nela! Eu preparei a cadela pra mim fazer uma putaria legal com ela! Desliguei o chuveiro, levei ela pra dentro de casa, sequei com um pano de chão limpo, depois puxei o traseiro dela levantei as patas e dei três palmadas violenta no formato de sardinha chulipa de quatro dedos na bucetinha carnuda da minha cadela, para amedrontar à não tentar me morder, pois a cadela era muito grande de um porte forte, e percebi que cada palmada que eu dava ela dava uma mijada em formato de jato. Conforme eu disse no primeiro conto (Comendo a Sobrinha Deliciosa), depois que rolou a primeira vez com Julia, sempre damos um jeito de nos vermos, inclusive recentemente no final de Fevereiro/2016 rolou um ménage com uma amiga dela.

Como eu sabia que o baralho era deles e as cartas poderiam serviciadas. O tempo foi passando, fomos fazendo amizade e tendo mais intimidade, até então, dentro do mais absoluto respeito. "Olá o caso que vou relatar aqui é um misto de real com fantasia, deixarei em aberto para que os leitores tirem suas próprias conclusões, me chamo Juan sou professor de letras em uma faculdade na minha cidade aqui no PR a cerca de 3 anos, sou mestre em literatura russa e costumo chamar atenção dos alunos (as) devido ao fato de ser novo e já dar aula em faculdade, tenho 27 anos, além disso, creio chamar atenção devido a características um pouco incomuns além do fato de ser ruivo barbudo, tenho olhos verdes, sou alto e costumo me vestir bem, normalmente me preocupo com qual perfume saio e também se a roupa está de acordo, de gravata até o sapato. Estava solteiro a pouco mais de um mes, e ao pesquisar um relogio na net, vi que tinha um vendedor na minha cidade (joao pessoa). Depois de uns 15 minutos que havia saido de casa, estava no ponto de ônibus e me lembrei de pegar meu celular, que por distração tinha esquecido em casa.

Ela era uma raimunda novinha e bunduda. Falei com ele que não tinha a menor ideia de como se jogava, e ele me ensinava enquanto treinava no quintal. Também ano passado, conheci sua prima, e viramos amigas inseparáveis, eu estava na casa dela quase todo final de semana, deste modo, fiquei mais perto de Leandro também (que é seu vizinho, alem de primo).