Buceta Improvisada na Cadeira

2228 visualizações

3 min

Categoria:

Tag:

2228 visualizações

3 min

Categoria:

Tag:

Buceta Improvisada na Cadeira

Buceta Improvisada na Cadeira

Ficavamos até tarde conversando e depois de uns dois meses de conversa, Ricardo fala que queria me conhecer pessoalmente, na hora eu gelei e gostei da ideia, aceitei. Aproveitei e comprei também um creme lubrificante a base de água, práprio para lubrificaçao anal, quando entrei no quarto minha mulher estava se divertindo chupando uma pica deliciosa e sendo chupada na bucetinha, não me contive e pedi pro travesti enfiar na buceta dela(depois minha muher me ontou que já havia gozado no cacete do travesti antes de minha chegada), minha mulher ficou de quatro e o travesti enfiou tudo na bucetinha dela enquanto eu lubrifiquei seu cuzinho e meti tudo nele.

No dia seguinte, estava eu limpando o corredor central do estábulo e a Safira apareceu com um sorrizinho safado. Quando me aproximei quase pirei , Elaine tirava o top lentamente e deixava a mostra aqueles peitinhos rosados durinhos , fiquei louco quando ela tirou a calcinha e deixou a mostra sua bucetinha pequena , com pelos bem aparados.

quando nem percebeu meu pau já estava todo dentro. O lençol da cama estava encharcado do líquido do tesão dela…E eu nao parei e ela gozou uma, duas, tres vezes! Em seu terceiro orgasmo eu vi algo que nunca tinha visto nesta minha vida desrregrada, ela teve uma convulcao, seu corpo comecou a suar e a tremer demais, sua xota jogou em minha cara um jato de secrecao, fiquei tao excitada que gozei tambem! Depois disso ela ficou inconsciente! Eu so pensava:” nossa, o que fiz com o meu amor??” Momentos apos ela voltou a si, fiquei mais tranquila!e nem eles de nós, porque minha mãe dá mais atenção a eles que para nós. Mas já tinham conversado sobre tudo e o não transar era um consenso.

Coloquei minha mochila na cadeira e fui até, quando cheguei perto dele e apalpou meu peitinho e rindo disse que eu não deveria mais usar aquela camiseta porque dava para ver meus peitos e pareciam de menina.

Ela riu, espiou puxando as cortinas improvisadas que separavam o banco do pequeno espaço atrás dele que eu usava de quarto e guarda-roupa.