Gravou a transa brasileira buceta grande carimbando buceta na pica durinha comedor da faculdade de porto seguro – bahia - 7 min

Categoria:

Tag: , , , ,

3808 visualizações

vote:

Quando econtrei meu tio no aeroporto dei um abraço nele, e tinha trazido com ele a filha mais velha, nossa já não era mais uma menina de 15 anos estava uma mulher de vinte anos.

Segurei forte em sua cintura e dei uns leves tapas naquela bunda durinha de academia. Com seu sorriso safadinho esfregou seus peitinhos durinhos no meu peito e dançávamos gostosamente quando fui logo abrindo e tirando sua saia e aproveito e tiro sua calcinha e subo te lambendo passando perto da gostosa e vc toda arrepiada, mas subi lambendo até seus peitos e no pescoço, passo a mão na sua gostosa bunda e sinto que você estava abrindo minha calça e foi tirando e de repente meu pau duríssimos pula para fora, vc: Nossa!!!! Que grosso, abaixou para tirar minha calça e veio beijando minha coxa ficou de joelho e dava uma chupadinha e veio, não perdeu tempo e segurou meu pau deu uma gostosa lambida na cabeça e começou a fazer uma chupetinha muito doido e eu gemia de prazer e vc olhava nos meus olhos verdes com uma cara muito safada e eu via sua boca gostosa pegando minha cabeça com muito tesão e aqueles seus olhares safados me enlouquecia ainda mais, deu uma sugada louca na minha cabeça, lambeu e foi beijando meu pau até começar a subir seus beijos na minha barriga, nos meus peitos e mamava meus peitos e me enlouquecia de tesão e eu passava-a minhas mãos na sua gostosa bunda, vc beija meu pescoço e dava uma chupadinha de leve muito estingante e foi chegando na minha boca que esta desesperada para te beijar e beijávamos como loucos selvagens e nossas mão passando na bunda do outro, fui botando meu dedo no seu secretinho e vc me beijando soltou ummmm! e senti meu dedo sendo apertado pelo seu cuzinho piscando de tesão e vc fez a mesma coisa e colocou seu dedo no meu.

E lá foram eles, conversando, ela disse que era brasileira, ele era dali mesmo.

E FALAR QUE AQUI NA BAHIA E TUDO QUENTE EU CONFIRMEI SOMOS QUENTES MUITO. Me jogou pro lado e já foi subindo em cima de mim enquanto arrancava o vestidinho, eu mal tive tempo de tirar a roupa e ela já estava no meu pau, cavalgando como louca, fiquei impressionado ao ver seus peitos, nunca tinha reparado como eram grandes, ela nunca se vestia para os valorizar, ficavam pulando na minha frente e ela gemendo alto, aumentei a musica para meu irmão não ouvir e ela cada vez fazendo mais rápido, parecia que ia arrancar meu pau fora com as reboladas que dava, levei uns minutos para acreditar que minha priminha que era chata de tão certinha e odiava que falasse de homens era essa devassa na cama, melhor que muitas das mulheres que já comi, a coloquei de quatro, e fazia com força, ela mordia o travesseiro para não gemer muito alto mas mesmo assim fazíamos muito barulho e fiquei com medo de que nos ouvissem, já fazia horas que estávamos metendo sem parar, meu irmão poderia acordar e nos ouvir, a coloquei para chupar e quase gozei, ela chupa com gosto o pau, as bolas, faz tudo certinho, fizemos muitas posições até que a mantei ficar de quatro de novo e coloquei lubrificante (que deixo ao lado da cama tmb) no cuzinho dela, vi que ela deu uma retraída e falei para ela que íamos tentar devagarzinho, ela não se mexeu e eu coloquei com calma aos pouquinhos, ela não segurou e deu um grito de dor e mandou tirar, pedi para ela aguentar e ela falou mais alto tira agora, meu pau estava quase explodindo de vontade de gozar no cuzinho apertadinho dela, mas tirei como ela mandou, deitei do lado dela desanimado por ela ter negado e ela pediu desculpa, falou que nunca fez porque doi de mais, falei que tava tudo bem e fui ao banheiro ao lado do quarto, lavei meu pau por ter colocado por traz e voltei já mandei ela deitar que queria então meter com força até gozar na bucetinha dela, ela sorriu e obedeceu, fui fazendo cada vez mais forte e ela fazendo cada vez mais barulho até que ela começou a gozar, e vendo isso eu também não aguentei, vi que ia gozar e tirei esporrando na bucetinha, barriguinha peitos e até um pouquinho no rosto, parecia que não acabava tanta porra, ela ficou sorrindo com cara de safada enquanto me olhava e sentia meu gozo quente pelo seu corpo todo. Fui iniciada no sexo por meu próprio pai, o Dr Delço, um advogado muito respeitado e severo mas que na verdade é um safado comedor de novinhas, nada de pedofilia, meu pai como advogado não é otário, adora uma novinha desde que maior de dezoito anos.

Vamos aproveitá-lo para voltar um ano e meio no tempo, primeiro dia de aula na faculdade e o professor Marcus entra na sala. Nao tirei de dentro, gozei dentro de sua buceta gostosa.

A noite meu pai se trancou no quarto com minha mãe e ficamos na sala assistindo até umas 11 horas quando falei que também iria dormir, entrei no quarto, coloquei uma camisola azul, bem curtinha e sem calcinha, que meu marido adora, apaguei a luz e me joguei na cama, mas não tranquei a porta, acho que foi de propósito para ver se meu primo tentaria alguma coisa, esperei um pouco e então ouvi a porta do quarto se abrindo, fiquei esperando e fingi que estava dormindo, ele sentou ao lado da cama e começou a passar mão nas minhas pernas e começou a subir até chegar na minha chana e então não pude disfarçar, pois estava muito molhada, ele percebeu e disse ” nossa que buceta grande e tesuda, tá me querendo né safada, agora vou te mostrar o que é um homem de verdade”, caiu de boca, me lambia toda, acho que em 8 anos de casada nunca tinha sentido tanto tesão e a essas horas nem me lembrava que era casada, gozei como uma vadia da boca dele, depois bateu uma sensação de culpa, afinal nunca havia traído meu marido, mas então pensei, isso é o que ele quer é o desejo dele por que não aproveitar, assim, justificava o sentimento de culpa. Entrando no carro, um Cobalt todo insufilmado, ela esperou-me sentar e sentou por cima, no meu colo, em plena rua, as 6 da tarde, e começou a me beijar e perguntar se eu queria ainda transar com ela, como eu queria antes.

Ver Informações